"Cristão é meu nome e Católico é meu sobrenome. Um me designa, enquanto o outro me especifica.
Um me distingue, o outro me designa.
É por este sobrenome que nosso povo é distinguido dos que são chamados heréticos".
São Paciano de Barcelona, Carta a Sympronian, ano 375 D.C.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Beato Luis Magaña Servin e Beato José Luis Sánchez del Río

09 e 10 de fevereiro, dias em que recordamos Santos Mártires de CRISTO!!!
 
 
 
Caros leitores, segue um pequeno resumo do glorioso exemplo de amor à Cristo dado por estes dois mártires do Senhor. Infelizmente não tive tempo suficiente para traduzir suas histórias de maneira mais completa, no entanto, o breve resumo aqui exposto já nos serve para demonstrar a santidade que diferencia os servos de Cristo dos falsos cristãos. Santos Luis Magaña Servin e José Luis Sanchez del Río, rogai por nós e pela Igreja!

¡Viva Cristo Rey!

* * * * *

Beato LUIS MAGAÑA SERVIN
Nasceu em Arandas - Jalisco, no dia 24 de agosto de 1902. Foi um cristão íntegro, esposo responsável e solícito; manteve suas convicções cristãs sem negá-las, mesmo em tempos de prova e perseguição.

Foi membro ativo da Associação Católica da Juventude Mexicana e da arquiconfraria da Adoração noturna ao Santíssimo Sacramento, na paróquia de Arandas. Contraiu matrimônio com Elvira Camarena Méndez no dia 6 de janeiro de 1926; teve dois filhos, Gilberto e Maria Luisa, porém não a conheceu.

No dia 9 de fevereiro de 1928, um grupo de soldados do Exército Federal, comandado pelo general Miguel Zenón Martínez ocupou o povoado de Arandas. Quando chegaram à sua residência, não puderam prendê-lo pois conseguiu se esconder; Como não o encontraram acabaram levando seu irmão menor. Ao tomar conhecimento do ocorrido, Luis se apresentou diante do mesmo general Martínez, solicitando a liberdade de seu irmão em troca da sua. Essas foram suas palavras:

"Eu nunca fui rebelde ou cristero como vocês me intitulam, mas se por acaso me acusam de ser cristão, sim, isso eu sou, e se por isso devo ser executado, muito bem, que assim seja. Viva Cristo Rei e Santa Maria de Guadalupe!"

 
 
Sem qualquer trâmite ou burocracia, o militar decretou a morte de Luis, que antes de entregar sua alma à Cristo, com um potente brado exclamou:
 
"Viva Cristo Rei e Santa Maria de Guadalupe!"
 
Suas palavras foram interrompidas por uma rajada de fuzil... Eram três horas da tarde de 9 de fevereiro de 1928.
 
 
* * * * *

Beato JOSÉ LUIS SÁNCHEZ DEL RIO
 
 
José Luis Sánchez del Río nasceu no dia 28 de março de 1913, em Sahuayo - Michoacán. Frequentou a escola em seu povoado natal, onde passou a integrar as vanguardas do grupo local da ACJM (Associação Católica da Juventude Mexicana) e posteriormente, em Guadalajara - Jalisco. Quando estourou a Guerra cristera em 1926, seus irmãos se uniram às forças cristeras, porém sua mãe não lhe permitiu que se unisse. O general Prudêncio Mendoza, também o recusou quando tentou alistar-se. O menino insistiu dizendo que queria ter a oportunidade de dar sua vida por Cristo e poder alcançar o Reino dos Céus. As palavras que convenceram sua mãe a deixá-lo ir foram as seguintes:
"Nunca terá sido tão fácil alcançar o Céu como agora".
 
Durante uma luta dificílima no dia 06 de fevereiro de 1928, o cavalo do general foi morto e José descendo do cavalo que montava o ofereceu ao general dizendo-lhe:
 
"Aqui está meu cavalo. O senhor faz mais falta à causa que eu".
 
Em seguida procurou refúgio e disparou em direção ao inemigo até que lhe acabasse a munição. As tropas do governo o fizeram prisioneiro e o encarceraram na sacristía da igreja local.
 
O processo e a execução de José foi presenciado por dois de seus amigos de infância.
Beato José Luis em sua Primeira Comunhão
Na sexta-feira, 10 de fevereiro, o retiraram da Paróquia e o levaram à hospedaria geral do exército federal. Lá o prenderam e lhe cortaram as plantas dos pés, fazendo-lhe derramar sangue em abundância. Depois o conduziram descalço (pois tinha os pés esfolados) pela Rua Insurgentes, até chegar ao que hoje é o Instituto Sahuayense, rodearam o Boulevard e seguiram direto até cheegar ao Cemitério Municipal. Em todo o trajeto o menino José ia dando gritos e vivas a Cristo Rei e à Virgem de Guadalupe. Pelo caminho, chorando e rezando ao mesmo tempo, chegou ao local onde lhe foi apontada sua cova e, colocando-se de pé diante dela, foi enforcado e apunhalado por seus carrascos. Um deles, Rafael Gil Martínez, conhecido como "O Zamorano" o desceu da árvore onde havía sido suspenso e lhe perguntou: "O que você quer que digamos aos seus pais?" e José, com toda a dor que sentia, pôde dizer com sua voz já fraca:

"Que Viva Cristo Rei e que no Céu nos veremos!"

O algoz cheio de coragem, sacou a pistola e dispoarou um tiro que atingiu a têmpora do menino José, matando-o. Eram 23:30, noite em Sahuayo, Michoacán - México.

Tanto Luis Magaña Servin como José Luis Sánchez del Río foram beatificados em 20 de novembro de 2005 pelo Papa Bento XVI.

Beato LUIS MAGAÑA SERVIN, Rogai por nós!
 
Beato JOSÉ LUIS SÁNCHEZ DEL RÍO, Rogai por nós!
 
Assista abaixo o martírio de José Luis Sánchez del Río (cena do filme "For Greater Glory" - Cristiada)

 

Um comentário:

  1. quero seguir o exemplo do Beato José Sánchez del Río

    ResponderExcluir